01/12/2016

Calendário Pirelli de 2017 quer inspirar mulheres a se libertarem de ideais de juventude e perfeição


O célebre calendário Pirelli existe desde 1964 e ficou conhecido por mostrar fotos de celebridades com pouca ou nenhuma roupa.
No entanto, desde 2016 que há uma nítida mudança na linha editorial da publicação. Ao invés de modelos jovens em poses sexy, aparecem nas suas páginas, escritoras, poetas, humoristas e actrizes de todas as idades.
A edição 2017 do calendário acaba de ser divulgada e também chega quebrando paradigmas. 
Desta vez as fotos são do fotógrafo alemão Peter Lindbergh, famoso por suas fotos a preto e branco.
No time de estrelas que ilustram o calendário estão Jessica Chastain, Penelope Cruz, Nicole Kidman, Rooney Mara, Helen Mirren, Julianne Moore, Lupita Nyong’o, Charlotte Rampling, Lea Seydoux, Uma Thurman, Alicia Vikander, Kate Winslet, Robin Wright, Zhang Ziyi e Anastasia Ignatova, professora de teoria política na Rússia.

uma

No site do calendário, o fotógrafo escreveu que as suas fotos visam libertar as mulheres do ideal de perfeição:
Eu quis mostrar as mulheres de uma maneira diferente. Convidei actrizes que sempre tiveram um papel importante na minha vida e tentei chegar o mais próximo possível delas através das minhas fotos. O ideal da perfeição da sociedade é impossível de conseguir”.
julianne

Está é a quarta vez que Lindbergh está por trás das fotos do Calendário Pirelli. Para a edição de 2017, as fotos foram realizadas entre Maio e Junho em cinco locais: Berlim, Los Angeles, Nova York, Londres e a praia francesa de Le Touquet. A nova edição chega com 40 imagens.

nicole
“Numa época na qual as mulheres são representadas nos mídia como embaixadoras da perfeição e juventude, achei importante lembrar a todos que há uma beleza diferente, mais real e verdadeira e não manipulada por interesses comerciais ou quaisquer outros, uma beleza que fala sobre individualidade, coragem para ser você mesma e ter sua própria sensibilidade privada”, afirmou o fotógrafo.



fonte:http://www.hypeness.com.br/

21/11/2016

ÓDIO AOS MILITARES?



Transcrição de notícia seguida de NOTA  :

Mortes nos Comandos. Oficiais das Forças Armadas criticam procuradora
161121. POR PEDRO FILIPE PINA

A Associação de Oficiais das Forças Armadas esperou “três dias para, recuperada a serenidade”, se pronunciar sobre o caso que envolve detenções de instrutores do curso de Comandos. A reação surgiu esta segunda-feira à tarde, em comunicado enviado às redações, com várias críticas implícitas à procuradora-geral Cândida Vilar.

Foi a procuradora quem redigiu o documento que permitiu a detenção de sete militares, na sequência da morte de dois recrutas no curso de Comandos, Hugo Abreu e Dylan da Silva. No despacho, a procuradora falava em “ódio patológico”.

Entretanto, os sete suspeitos saíram em liberdade, com termo de identidade e residência. Apenas o médico ficou com medidas de coação mais gravosas, nomeadamente o impedimento de exercer como médico nesta altura, seja nas Forças Armadas seja em Unidades de Saúde Familiar.

Ora a reação da Associação de Oficiais das Forças Armadas é feita com várias críticas em tom de pergunta.

“Teria sido necessário detê-los para que se procedesse às eventuais diligências que tiveram lugar?”, questiona a associação, que acredita que a resposta foi logo dada. “A resposta é dada pela decisão da juíza que preside ao processo, libertando-os. Não era necessário deter quem não deu qualquer sinal de se tentar subtrair ao apuramento de responsabilidades”.

O termo “ódio patológico”, expressão que, como revelou a RTP, constava do despacho, merece outra questão dos oficiais: “Onde foi a senhora procuradora colher tão categórica qualificação?”, questiona a associação, acrescentando que “a resposta a esta pergunta é importante” devido ao facto de vários instruendos terem decidido continuar o curso.

O que leva ainda a outra questão em tom crítico: “será que a senhora procuradora confundiu o cenário criado à volta da instrução com a realidade”.

A associação de militares questiona ainda a necessidade daquilo que caracteriza como uma “caça ao homem” ao ser criada a Operação DANTE, que permitiu a detenção dos suspeitos, “como se perigosos e foragidos criminosos se tratassem”.

Defendendo que quer que seja apurado o que se passou, a Associação de Oficiais das Forças Armadas fala num “processo de julgamento em praça pública inédito em Portugal e cujo alcance na credibilidade dos militares e das Forças Armadas ainda está por apurar”. Por isso, espera que a investigação decorra dentro de um quadro em que se conhece a “realidade militar e sem quaisquer preconceitos”.

NOTA:

É desejável que a senhora procuradora-geral Cândida Vilar estude muito bem as características das Forças Armadas, dos militares, a sua ética, o seu sentido de missão, o seu amor a Portugal, para cuja defesa estão dispostos a arriscar a própria vida e que, depois, responda às interrogações bem apresentadas pela AOFA (Associação de Oficiais das Forças Armadas). Conte que terá resposta às respostas que der, porque os militares não se acobardarão de se defenderem de ataques feitos com «ódio patológico» à sua dignidade de patriotas sem temor, com peito oferecido às balas do inimigo (independentemente da máscara que este utilize).

18/11/2016

PARA GOSTAREM MAIS DE SI

Quer que gostem mais de si? É isto que tem de fazer
16/11/2018

Peça favores aos seus colegas: quando uma pessoa faz um favor a alguém acaba por sentir-se melhor com ela própria. Por isso, quando você fizer com que alguém se sinta melhor consigo mesmo, essa pessoa vai gostar mais de si.

Nem sempre é fácil fazer com que os outros gostem de si. É impossível agradar a todos, mas existem certas atitudes que pode tomar – e que estão testadas cientificamente – para que as pessoas que a rodeiam sejam mais afáveis consigo.

Veja cinco formas de fazer com que os outros gostem mais de si, segundo o site Business Insider.

1. Encontre algo em comum: já vários estudos comprovaram que ter factores em comum, como o nome ou a roupa, são suficientes para estimular sentimentos amigáveis.
2. Peça favores aos seus colegas: quando uma pessoa faz um favor a alguém acaba por sentir-se melhor com ela própria. Por isso, quando você fizer com que alguém se sinta melhor consigo mesmo, essa pessoa vai gostar mais de si.
3. Pergunte aos outros qual a opinião que têm sobre si.
4. Repita as últimas duas ou três palavras de uma frase que a outra pessoa tenha dito usando um tom carinhoso e curioso: quando alguém lhe disser, por exemplo, "estou a escrever um novo livro", responda-lhe "um novo livro?". Vai transmitir a ideia de que é simpática e se interessa por aquilo que a pessoa está a dizer.
5. Elogie os outros: encontre uma qualidade que admire na pessoa e aproveite para elogiá-la.

30/10/2016

COM GRIPE, EVITE



Oito erros a evitar quando está com gripe
161025 no jornal SOL por Rita Porto. rita.porto@newsplex.pt

Com estas mudanças de tempo, são poucas as pessoas que não apanham constipações ou gripes. E quando se está neste estado, queremo-nos curar o quanto antes.
Mas há coisas que, provavelmente, está a fazer - ainda que inconscientemente - e que estão a prolongar a sua gripe ou constipação. O WebMedfez uma lista de oito conselhos para não piorar o seu estado de saúde.

1. Não peça antibióticos ao seu médico
Está muito enganado se acha que os antibióticos vão curar a sua gripe ou constipação. As infecções virais não se curam com antibióticos portanto deixe de importunar o seu médico.

2. Não se arme em super-herói
É daquelas pessoas que se recusa a ficar um dia em casa para se recuperar porque tem muita coisa para fazer? Pense nisto: quer contagiar os seus colegas? Talvez não seja boa ideia.
O melhor é ficar por casa até desaparecerem os sintomas. Aliás, o ideal é só aparecer no seu local de trabalho 24 horas depois da última vez que teve febre.

3. Largue o desinfectante de mãos
Os desinfectantes de mãos – aqueles que têm 60% de álcool - são bons quando não consegue lavar as mãos. Mas sempre que puder, lave-as com água e sabão. É a maneira mais eficaz de se livrar dos germes. Lave frequentemente as mãos e faça-o durante cerca 20 segundos.

4. Não ultrapasse as doses recomendadas
Muitas pessoas têm a tendência de duplicar as doses dos medicamentos para ver se ficam curadas mais rapidamente, mas não podiam estar mais erradas. No caso dos descongestionantes nasais (os sprays), quando utilizados em demasia não só deixam de funcionar como ainda entopem mais o nariz.
Siga as instruções do seu médico ou o folheto informativo e tenha paciência.

5. Não stresse
Que o stress é algo negativo, já todos sabemos, mas estudos recentes mostram que o stress aumenta o risco de apanhar o vírus da gripe e ainda piora os sintomas da gripe e constipação.
Como se isto não bastasse, as insónias, que são provocadas pelo stress, fazem com que recupere destas doenças muito mais lentamente. Tente descansar o máximo possível assim que começar a sentir os primeiros sintomas.

6. Evite fumar
Sim, é difícil. Mas quando se está doente o melhor é largar os cigarros (e outros que tais). Tanto fumar, como estar perto de pessoas que fumam, pode aumentar o risco de contrair infecções respiratórias e piorar os seus sintomas de gripe ou constipação.

7. Largue a cafeína
Não, a cafeína nestes casos não o vai ajudar a ganhar energia. Pode mesmo desidratá-lo. Troque o seu habitual café por chá com colheres de mel – as bebidas quentes e o mel ajudam nos sintomas de tosse, dores de garganta e até o podem ajudar a dormir melhor. Atenção: nunca dê mel a uma criança com menos de um ano, pode causar botulismo infantil.

8. Não deixe de comer nem de beber
Quando se está doente, muitas vezes perdemos o apetite e acabamos por nos esquecer de comer e beber – outro erro típico. Ainda que não lhe apeteça, faça um esforço: recorra à clássica canja de galinha, que está cheia de propriedades anti-inflamatórias que vão ajudar na cura da gripe ou constipação (estudos recentes comprovam a sabedoria ancestral).